O presente blog se propõe a reflexão sobre os Direitos Humanos nas suas mais diversas manifestações e algumas amenidades.


terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Ulisses: pedófilo ou vítima da homofobia?

Um adolescente de 14 anos e um homem casado de 26 anos que mantinham contato pelo computador, depois de um encontro marcado, chegaram as vias de fato. Pela reportagem que assisti, o adolescente foi na casa do homem casado, quando manteve relações sexuais com o Ulisses e depois continuou mantendo contato pela internet.

Ulisses Leite Novais Basílio, de 26 anos, foi preso na manhã desta terça-feira por policiais da Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA). Ele é acusado estupro de vulnerável, por manter relações sexuais com um menor de 14 anos.

Ulisses foi crucificado, exposto publicamente como pedófilo, em rede nacional, antes de qualquer julgamento. Se for, nada a declarar. No entanto, essa história é no mínimo estranha. Estupro sugere uma violência e ato sexual que não foi desejado, e quando ocorre, normalmente a vítima jamais mantém contato com o agressor. Qualquer pessoa que navegue na internet ou utilize o MSN não está obrigado a conversar com quem não deseja. Basta bloquear ou ignorar. Isto é elementar e básico.

A mãe “desconfiou” do filho e a partir de então ela e a família armaram uma cilada para o adulto, após um mês da ajuda da polícia. As conversas foram direcionadas pela mãe, substituindo o filho no computador e gravadas com auxílio do tio do rapaz.

Não me cabe defender pedófilos e nem pretendo. Na verdade abomino. Agora será que o adulto de 26 anos é um pedófilo ou simplesmente o adolescente e ele criaram uma relação e depois a família do menor descobriu e resolveu atuar de forma a transformar o fato em crime?

Na realidade, o Estatuto da criança e adolescente garante ao menor de 14 anos o direito de exercer a sua sexualidade. Portanto, o fato dele ter vida ativa sexual não seria a causa.

A questão está em saber se o adulto se valeu da sua perrogativa de homem experiente para induzir ou forçar o menor a pratica sexual - que não desejava -.

Se o julgador, em cumprimento ao que foi disposto pelo legislador, entende que o menor de 14 anos pode ser ativo sexualmente, não pode desconsiderar que seus pais podem não concordarem com essa prática, especialmente se deparados com uma possível orientação homossexual do menor. Tal equação, menor, adulto, sexo, internet, pais, polícia pode muito bem resultar num cenário perfeito para responsabilizar alguém pelo evento, encenando um crime que foi totalmente programado, de um lado, à título da homofobia existente, de outro, valendo-se do receio que o menor possa ter diante da autoridade paterna e do medo de decepcioná-los, além, evidentemente, da própria irresponsabilidade do maior. Será que os pais reagiriam da mesma forma se o envolvimento do adolescente fosse com uma mulher de 26 anos? Talvez até se orgulhassem.

Reitero, não sei se é o caso. Pode ser que o menor tenha sido abusado sexualmente pelo maior, embora estranhe o fato de depois do dito abuso ambos continuarem se correspondendo pela internet. Acho que a questão deve ser muito bem verificada pelas autoridades competentes. Apenas suspeito que as provas “provocadas” e advindas pela família do menor (absolutamente envolvida emocionalmente), sejam imparciais. E aí, se o Ulisses for inocente, ele, sua esposa e família como ficam depois de toda a exposição pública?
.
Evidente que, na dúvida, entre os interesses de um menor e um maior, daquele deva prevalecer, no entanto, que seja permeado com clareza e justiça. .
.
foto: Divulgação DPCA

38 comentários:

Anônimo disse...

Carlos, Minha opinião:

Em nenhum momento falaram que o rapaz presenteava o garoto ou o obrigava com violência a manter relações sexuais. "Coagir" uma criança de 10 anos é bem diferente de "coagir" um adolescente de 14, que já tem desejos sexuais e, como vc ressaltou, tem liberdade perante a lei para ter vida sexualmente ativa. Que tipo de comportamento estranho a mãe notou? Por que ela não falou para orientar as mães? Isso só pode ser uma história de uma mãe preconceituosa que percebeu que o filho pode ser homossexual.Posso estar enganado, mas foi isso que pareceu. E digo mais: esse rapaz tem vida de hétero porque a sociedade impõe isso, obriga as pessoas a serem o que eles não são!É isso. Excelente análise. Vou acessar seu blog sempre!

Fernando.

Thiago disse...

Hipocrisia...

Minha irmã tem 15 anos e o namorado dela tem 22 anos, e ele é visto como pedófilo pela sociedade? Lógico que não.

Óbvio que a mãe desse menino é preconceituosa, ignorante e pensa que o acusado "transformou" o filho dela em GAY.

Deixo claro que não estou fazendo apologia a pedofilia. Acho abominável quem faz uma coisa dessas com crianças. Mas concordo com o que vc escreveu, francamente! Se o garoto não quisesse manter contato com o acusado, pq simplesmente não o bloqueou do msn? Pq foi até a casa do acusado, manteve relacionamento sexual e ainda continou conversando com o cara?

Eu acredito que a legislação deveria ser relativizada em alguns casos. Com o bombardeio diário de pornografia na internet e na televisão, é evidente que os meninos de 15 anos de hoje amadurecem mais rápido do que antigamente.

Enfim, infelizmente ao assistir a reportagem em comento fiquei com a sensação que o acusado era vítima da hipocrisia e da homofobia.
Espero que eu esteja enganado.

Augusto disse...

Eu concordo com o que já foi postado anteriormente e acrescento mais, antes de julgar o rapaz, precisa ver o real conteúdo das conversas e num vale essa história de "ah, eles tem acesso a modificar o histórico da conversa, pq eu desconheço isso e, como foi uma ação surpresa, pq é q o cara ia ter alterado seu histórico só por causa do garoto... pedófilo q é pedófilo arrisca muito mais, num é tão ligado a esses detalhes (eu acho), afinal, qtos casos de pedofilia já não vimos na tv e o acusado tem td salvo em seu hd, não é mesmo? como se fosse um prêmio... agora, ele vai ser acusado e tal, mas vamos supor q o cara seja inocente... isso vai sair na midia? precisamos conseguir uma forma de ficar em cima pra saber o resultado, pois, e se for um caso de homofobia dos pais desse adolescente querendo "impor" ao seu filho q não tenha essa "opção"? O negócio é aguardar...

Mascote disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mascote disse...

Belissima exposicao do assunto. De fato, ao ver a noticia no JN, algo tinha me deixando inquieto quanto ao caso. Decidi entrar na internet e fazer uma rapida busca atraves do google com algumas palavras chaves do caso. Acabei por encontrar o seu blog, que me parece muitissimo interessante.
Quanto as acusacoes, realmente as reportagens da Band e da Globo crucificam prematuramente, como monstro pedofilo, o 'suspeito de cometer o crime de estupro'. Nossa, na reportagem da Band fica muito ambigua a posicao da mae: protetora ou homofobica. Isto porque ha um trecho em que ela comenta as 'artimanhas' de se modificar os registros de conversas de msn. Ora, se o filho dela fez isso, talvez ele nao estivesse interessado em contar algo que pudesse terminar sua relacao amorosa (com seu estuprador???? Sindrome de Estocolmo com o seu estrupador???). Enfim, historia muito estranha, mal contada.
Ulisses pode nao a mais santa das criaturas, mas ter o nome jogado na lama, em rede nacional, prematuramente... de fato, nao me parece justo.
Gostaria muito de receber informacoes acerca do andamento desse caso. Se Ulisses nao for o monstro estuprador de criancinhas como alegado, urge que se divulgue a sua inocencia.
Que se faca justica.

Carlos Alexandre Neves Lima disse...

Colegas,

Os comentários são perfeitos.

Todos partilhamos a mesma dúvida e, principalmente, apreensão que alguma injustiça esteja sendo realizada.

A legislação prevê que quando ocorre relação sexual com adolescentes abaixo de 14 anos, há violência presumida, portanto, o menor de 14 anos não possui possibilidade de consentir uma relação sexual. Mas esse não é o caso do menor em debate, pois ele já possuía 14 anos, conforme alardeado pela mídia.

Aliás, todos sabem que o pico de incidência de relações sexuais praticados por menores na idade é atingida entre 15 e 17 anos de idade.

Pior, num levantamento feito em 2008 pelo Sistema Único de Saúde apurou-se que o número de meninas entre 10 e 14 anos que deram à luz em hospitais públicos passou de 24,8 mil em 2005 para 26,3 mil em 2007, o que, evidentemente, é um absurdo!

Esta é a realidade, mas no caso deste Ulisses, parece que tal realidade sequer foi cogitada, apenas declarado pedófilo.

Uma coisa só não há dúvida. Todos os envolvidos nesta história, menor, Ulisses, mãe do menor, esposa do Ulisses e todos os familiares devem estar sofrendo excessivamente, Alguns mais, outros menos, mas todos sofrem.

Obrigado a todos pelos comentários.

Abs,
Carlos Alexandre

Deyvison Roberto - J.Rede disse...

Não é a primeira vez que a imprensa brasileira se antecipa em casos como este. Alguém lembra do caso de abuso sexual da escola de base em 1994?

Peço licença ao Carlos para refrescar a memória de vocês.

- Em março de 1994, vários órgãos da imprensa publicaram uma série reportagens sobre seis pessoas que estariam envolvidas no abuso sexual de crianças, todas alunas da Escola Base, localizada no bairro da Aclimação, na capital paulista. De acordo com as denúncias apresentadas pelos pais, um funcionário que trabalhava como perueiro, levava as crianças e cometia abusos e filmava.

O delegado Edelcio Lemos, sem verificar a veracidade das denúncias e com base em laudos preliminares, divulgou as informações à imprensa.

A divulgação do caso levou à depredação e saque da escola. Os donos da escola chegaram a ser presos. No entanto, o inquérito policial foi arquivado por falta de provas. Não havia qualquer indício de que a denúncia tivesse fundamento. Os funcionários e donos da escola acusados, deram início à batalha jurídica por indenizações.

Vários órgãos da imprensa, como a "Folha da Manha", foram condenados Inclusive o governo de São Paulo.

Analisemos então o caso Ulisses:

Na matéria do JN, a mãe achou estranho o comportamento do filho, (que comportamento foi esse? A mãe explicou)?

A repórter fala que, para poder localizar o homem, a mãe estava sempre ao lado orientando as respostas e fazendo perguntas para conseguir informações, como se, literalmente, o próprio filho estivesse denunciando o acusado.

Já na reportagem da Bandeirantes, a identificação do "amigo" da vítima só foi feita devido a ajuda de programas de computador, instalado pelo tio do garoto. E a mãe ainda complementa: "adolescente sabe burlar isso, mesmo que as conversas fiquem gravadas, ele sabe os programas, eles vão investigar, eles tiram as conversas dessas pastas (onde ficam registradas do MSN)".

Uma possível linha de investigação pode ser a do interesse desse adolescente em manter o contato no MSN, já que todos sabemos que a coisa mais fácil do mundo é bloquear uma pessoa e excluir.

E esta geração de virtualidade precoce sabe muito mais que a gente!

Também não estou querendo encobrir casos de pedofilia, mas como jornalista, decidi ver (e entender) as situações dos dois lados. Simplesmente ouvir um depoimento de segundos do acusado não é o suficiente, temos que colocar a cabeça pra pensar e raciocinar.

A mãe supostamente desconfiada que o filho mantinha contato sexual com o Ulisses já foi alegando que o filho pode ter apagado as conversas. E um técnico de informática termina a matéria da BAND dizendo: "tem que tomar cuidado porque o filho pode estar muito mais avançado e ter descoberto que ela instalou e desabilita e reabilita a hora que quer".

Não seria esse o caso do menino "inocente"?

O mundo tá cheio de casos de homofobia e eu concordo com o que você disse: " Será que os pais reagiriam da mesma forma se o envolvimento do adolescente fosse com uma mulher de 26 anos? Talvez até se orgulhassem."

Brasileiro não reflete, absorve.

Bruno Almeida disse...

Posso falar por mim mesmo, desdos 14 anos mantenho relação com o meu atual namorado.
Muitos bem diziam mais você um menino de 14 anos com um rapaz de 21 anos, sempre via um largo preconceito dos olhos dos demais, muitos tentavam me aconselhar, falavam a minha mãe que eu poderia estar sendo abusado sexualmente, uma vizinha minha até foi ao conselho tutelar e fez uma denuncia dizendo que : " ele esta sendo forçado a manter relações com esse cara em troca de roupa e comida para o mesmo"...
Passei por psicologos, conversei com delegados e etc ...
Mais mesmo tendo 14 anos já sabia o que queria de minha vida !
Aí me pergunto o que foi pior, foi me descobrir e me aceitar ou ter de passar por toda esta palhaçada e quase ser separado de minha mãe?
Graças a Deus e a mim que sabia o que queria e sempre fui bem claro a delegada e aos psicologos de que sim eu sou gay e mantenho relações com um maior de idade por vontade própria, não por pressão!

Pode uma coisa não ter nada haver com a outra mais eu por experiencia própria posso dizer que, sim uma "criança" (na verdade um adolescente de 14 anos),já responde por seus atos, já tem desejos e já sabe o que quer.

Esse "menino" ao meu ver não foi coagido, nem obrigado a manter relações com esse homem, pois todos sabemos que se ele quisesse já havia excluido essa pessoa da vida dele.
Mais até então todos só souberam juga-lo, e só olharam para o adolescente como o coitado da história.
Que de coitado não tem nada.

Como todos dizem a "justiça" brasileria é cheia de falhas!!

Outra coisa que me lembrei agora ... Esse adolescente foi a casa do "acusado" e teve relações sexuais com ele, a mãe do meninofez com que ele conversasse com o acusado e o fizesse dar pistas de onde ele morava ...
Mais se o adolescente foi na casa dele, ele deveria ao menos saber onde o acusado mora, muito estranha essa história!

Diego disse...

Gostaria de pedir ao dono do blog que nos mantenha informado sobre o andamento do caso, e se há algo que possamos fazer para cobrar uma investigação justa e transparente!

Cristiano Girardelli disse...

Estou abismado com este caso e vários outros de "pedofilia" que estão estourando por aí. Os homens, de tempos em tempos elegem "tipos" que funcionam como bodes expiatórios sociais: as "bruxas", os "negros", os "gays", os "judeus" e por aí vai. Atualmente, a cultura antipreconceito tem dificultado a eleição de novos grupos - e, para mim, o grupo "pedófilos" apenas disfarça vários outros grupos incluídos no conceito (e, na minha opinião, os gays estão embutidos neste conceito). É a velha mania de fundamentar o comportamento humano sobre regras (como se as regras não fossem criadas pelo próprio homem). Apesar dos meus 30 anos, meus 14 não estão tão distantes assim: e não me sinto constrangido ao afirmar que, não somente tinha desejos sexuais, como ainda sobre tais desejos possuía a certeza. Com meus 14 anos, eu sabia dizer não e sim - não ao que não desejava e sim àquilo que queria. Se avaliarmos o comportamento, por exemplo, de garotos e garotas desta idade nesta geração, ficará claro que o sexo tem se iniciado mais cedo mesmo (prestem atenção ao grande número de pais precoces e adolescentes grávidas - a procriação não está vindo do Espírito Santo, né?). Para mim, é o preconceito disfarçado... Estão condenando o sexo GAY antes dos 18 anos e não a pedofilia... Fico arrasado em enxergar as novas máscaras das velhas ideias e ao perceber que, em gerações, os nossos costumes permanecem sendo os donos da nossa lei, da nossa mídia e do nosso entendimento de mundo.
Espero que este Ulisses seja absolvido e que retome sua vida, com orgulho, em detrimento desta difamação.

Anônimo disse...

Essa história não pode ficar assim...É preciso uma investigação rigorosa a cerca desse caso. Esse rapaz é uma vítima. Temo que esse erro só seja percebido quando esse garoto resolver dizer a verdade para sua mãe ignorante e preconceituosa. Também espero que o dono do blog nos mantenha informado sobre o caso, pq para a mídia Ulisses é pedófilo, já foi julgado, condenado, morto e enterrado.

Anônimo disse...

Ainda bem que alguns compartilharam minha opinião sobre o caso, exibir o rapaz da forma como foi exposto, chamando de pedófilo é no mínimo irresponsabilidade, chamar de estupro nas condições já exposta, é mentira, de fato se fosse uma garota de 14 com um rapaz de 26 seria apenas chamado de sedução, quando não, achariam normal, deve ser mesmo a mãe querendo achar um culpado pela homossexualidade do filho que ela já percebe mas não aceita, o que um rapazola de 14 anos quer se vai ao encontro de outro? Pode ser amizade, mas é estranho, e foi porque quis, ou então o "sedutor" tem um poder muito forte pela internet.

Juliano disse...

Parabéns pelo texto, muito bem escrito, é sempre valido buscar novas fontes para compreender um assunto. Vi a matéria no jornal, mas não fiquei esclarecido. O fato deve ser apurado com muita cautela; posso estar enganado, mas parece armação da família para mascarar a relação homossexual do filho!

Vanderlei disse...

Adorei o texto !! realmente não devemos deixar esse tipo de coisa acontecer (julgamento prematuro)

Gostaria que você nos mantivesse informado sobre o andamento do caso !!!

E principalmente o que podemos fazer pra ajudar o Ulisses que na minha opinião foi a verdadeira vitima !!!

M disse...

Quantos casos acontecem todos os dias com meninas, pré adolescentes grávidas, prostituição com o menor, estupro " de verdade" envolvendo violência, traumas etc ??? E a imprensa não dá sequer 30 segundos de foco, de seriedade quanto ao caso?
Será que não estão adiantando o julgamento sem saber o que realmente aconteceu detalhadamente? Sei que nenhuma mãe quer passar por isso, mas tenho 19 anos, e nessa mesma idade '14' tinha relações sexuais frequentes com um cara de 22 anos e sempre fiz por vontade, prazer, enfim, por desejo sexual.. a diferença é que nunca minha mãe sequer imaginou ou descobriu.(tá, cada caso é um caso) Com isso, quero dizer que é relativo o desenvolvimento mental de cada um, porém na minha situação sabia muito bem o que fazia, do que gostava e do que ia atras (mesmo não tento uma experiencia longa)... Se é um pré adolescente normal fez por que gostou! E com toda sinceridade, o acusado despertaria um certo interesse por sua aparencia em qualquer mulher, garota, homossexual e muito mais num menino em plena descoberta da sua sexualidade...

Anônimo disse...

Ulisses, Deus Grego... Estamos com você!

ess_rn disse...

não sei se todos que postaram algum comentário aqui são gays como eu, mas eu concordo plenamente com que disseram, e está na hora de unirmos forças, seja nos homosexuais e os heterosexuais que nos apoiam pra tentar ajudar de alguma forma esse jovem, que está sendo descriminado pela mãe do garoto. Acredito que se colocar-mos a boca no trombone temos a oportunidade de ajudar e eles ouvirem aquilo que não querem.

Anônimo disse...

Abaixo a mídia intencionalista!!!!

Parece uma matéria com a intenção de somente divulgar o suposto "pedófilo". Pena que a GLOBO e suas seguidoras, ainda, em 2010 - "ANO EM QUE FAREMOS CONTATO" - seja completamente intencionalista. Assim como nos anos 80 e 90, a nossa imprensa tinha o poder de eleger nossos candidatos, hoje ela continua a ser parcial, neste caso, totalmente do lado da família do garoto. Deveria ser imparcial e mostrar os dois lados da moeda.
Concordo com todos que defendem a imparcialidade das informações e ainda acredito na nossa justiça!
Acho que os grupos de GLSs deveriam entrar firmes neste e em outros casos e inclusive tornar públicas pela imprensa as informações sobre a possibilidade deste garoto, assumir que tinha relações com o Ulisses por que queria. Acho que os advogados destes grupos deveriam entrar com um MANDATO DE SEGURANÇA, obrigando ao Jornal Nacional a possibilitar a defesa do Ulisses, assim como possibilitou a defesa da família deste garoto.
ACREDITO NUM PAÍS IMPARCIAL, JUSTO, DEMOCRÁTICO e principalmente SEM PRECONCEITOS!!!!

Anônimo disse...

Por favor né ? claro que o menino estava afim de ter estas relaçoes... Olha sou bisexual e tive relacoes com adultos desde que tinha 11 anos. Com 14 anos nao se deveria primeiro investigar se o menino estava fazendo o que queria? Nem sequer durante a investigacao eles deveriam ser incomodados. Acredito que tanto o menino como o adulto no caso teriam direito a indenizaçao por danos morais por terem tido suas vidas estragadas ! Cadê o movimento gay do brasil? Vejam as novas leis antipedofilia parecem a santa inquizicao.. Esta sendo usado para... "resolver o problema homosexual"

Anônimo disse...

Na minha opinião a vida dos dois rapazes foi arruinada. Só Deus sabe o que o maior de idade está passando na cadeia agora, e só Deus sabe o que está acontecendo psicologicamente com o menor. Acho que são vidas profundamente afetadas (para não dizer destruídas mesmo) pela pressão social, que insiste em negar os direitos e a própria existência do homossexual. É uma pena que vivemos num país tão atrasado e cheio de hipocrisia. O preconceito e a perseguição existem no mundo todo, mas aqui é sempre pior.
Parabéns ao dono deste blog por abrir este espaço que é um refúgio do bom senso e da justiça.

Anônimo disse...

Esse fato é inacreditável. Fico com os comentários anteriores, se o menino foi ao encontro desse rapaz, que por sinal é muito bonito, já foi sabendo o que iria acontecer, e foi querendo. Ele foi mais vítima do que criminoso. Vítima do preconceito da mãe desse garoto que é puramente preconceituosa. Sempre tive atração por pessoas mais velhas. Qundo eu tinha 14 anos me envolvi com um rapaz de 32. Isso não foi pedofilia. Eu fui porque quis e gostava. Hoje meu namorado tem 35 anos e eu, 22.
Espero que a justiça realmete seja feita e que os jornais se retratem e paguem indenizações altíssimas a esse rapaz acusado injustamente. Inclusive dessa mãe vil e que quer esconder a todo o custo a homossexualidade de seu filho. Afinal, quais alterações ela percebeu no filho???? Será que ele estava mais alegre nos últimos dias, passava mais tempo no PC, sai escondido sem ninguem perceber? Estava se sentindo melhor??

JUSTIÇA SEJA FEITA.

Deyvison Roberto - J.Rede disse...

Muito bonito é pouco...
Ele é um gato! hehehehe...
Nossa...

Roger dos Santos disse...

A questão é complexa. Pedofilia é um dos assuntos do momento na mídia, mas vale lembrar que: A prática da pedofilia em alguns casos trata-se de doença em mais de 15% dos casos. Doença esta reconhecida pelo Orgão Internacional responsável em estabelecer o que é e o que não é doença. Mas, todos são rtatados como criminosos.
Com excessão desses casos, existe a questão da responsabilidade do maior. Mesmo uma criança demonstrando prazer no ato, será que ela tem plena conciência desse ato, tal qual tem um adulto? O que significa sexo para ela?
A mídia aborda o caso, mas nunca vi um real debate sobre o assunto, não só com pais e autoridades, como com especialistas na sexualidade e na psique humana, o que a meu ver, em certo momento, impaca a discussão

Anônimo disse...

Alguém sabe informar quem está advogando para o Ulisses? na vdd alguém sabe informar se ele tem advogado??

Anônimo disse...

O Ulisses precisa de um bom advogado para provar que tudo isso é um grave engano. Esse garoto tem que falar a verdade! Também quero saber o andamento desse caso.

Carlos Alexandre Neves Lima disse...

Roger dos Santos,

Você possui razão ao afirmar que a pedofilia é algo grave e também uma doença que em alguns países são tratados.

No entanto, a grosso modo, discordo quanto a suposta ausência conscientização de um menor com 14 anos para a prática sexual. Evidente que exceções existem.

No Brasil, época do Império, 18 anos era a idade fixada, passou para 17, em seguida para 16 e finalmente em 1940 para 14 anos de idade. Você realmente acredita que o jovem de 14 anos de idade hoje, com a globalização e tecnologia, possui o mesmo padrão do garoto de 14 anos de 1940???

Lei não se discute, respeita-se. Mas elas foram criadas para nos servir e não servimos a elas.

Não acho que um rapaz de 14 anos terá o mesmo senso de responsabilidade de um adulto, evidente, até porque seus hormônios são outros e sua experiência de vida quase nenhuma, o que faz com que sua proteção legal seja mais que devida, entretanto, nesta idade ele já sabe distinguir o certo do errado e a sua própria orientação sexual.

E, aqui neste debate, embora bem colocada sua intervenção, não se discute o que fazer com os pedófilos, mas distinguir quem é e não é pedófilo. Sem termos acesso a todas as informações, excetuando as divulgadas, não parece ser Ulisses um pedófilo.

Matheus disse...

Isso é ridiculo. Como sempre estão pegando o cara pra Cristo. Não precisa nenhum interpretação pra ver que o garoto estava afim de ter e manter o relacionamento com o Ulisses. Olha o que ele escreve no chat, incita bem mais do que o próprio acusado. Alguém tem que fazer alguma coisa pra ajudar esse cara. Ele pode ter errado mas merece sua defesa.

Marcos disse...

Estou muito chateado com o que aconteceu com este rapaz. Existe alguma coisa que possamos fazer pra ajudá-lo? Não queria que ele fosse condenado. É muita injustiça.

pablo disse...

Indignado pelo que vejo na TV... como esse rapaz fica teve pouca sorte!

Se vc entrar em chat de bate papo existe varios gurys q entram com Nick chamativos... pq eles ja entram sabendo o querem!

Esse muleque foi para casa desse rapaz ja sabendo o q iria acontecer... o rapaz nao oh pegou a força! e nao transou com menino pagando, dando presente... acho uma hipocresia o q fazem com esse rapaz...

O JN ja tinha mostrado um gury de 15anos, tempos atraz q entrava no copacaba palace, para fazer programa... as cameras mostraram tudo, ele chegou de taxi parou na porta do hotel, subiu de elevador! fez o programa saiu do hotel sozinho... foi com sua proprias pernas.. mas o pedofilo e os turistas q trasam e o gury? q nomes tem?? sao menores de idade, hj dia esse meninos e meninas ja matem relaçoes sexuais com 10anos!!

Perai minha gente vamos ser menos hipocritas!!! aff repugnacia ao fato!

Pablo / Manaus/Am

Matheus disse...

alguma novidade?

Welton disse...

Olá.

Concordo com todos os comentários. E observo que tem outros pontos que não foram abordados. Esse debate é importante e o site é muito interessante.

Também desejo saber como está o caso. Quero ajudar de alguma forma, nem que seja com uma assinatura para um abaixo-assinado, por exemplo.

Sou contra a pedofilia, o estupro...a irresponsabilidade da imprensa, a injustiça da justiça, a homofobia...

Anônimo disse...

Eu achei um absurdo o que fizeram com esse rapaz, tido como "estuprador e pedófilo".
A bichinha foi até o cara e o mais velho é que é o culpado. Tem países que a maioridade sexual já é alcançada aos 14 anos e, portanto, um caso como esse não teria problema algum.
Todo mundo sabe que com 14 anos já tem vários meninos namorando e me recordo agora até de um menino hetero que foi pai aos 13 anos de idade. O problema ao meu ver nesse caso específico foi a questão da homossexualidade mesmo.
Não concordo com a postura do lindo Ulisses que era casado e traiu a mulher que está grávida dele. A vítima disso tudo é sem dúvida mãe e filho que está a caminho. Mas definitivamente não estou aqui para julgar as razões dele para ter feito isso, apensa não bate com os meus valores.
Ele deveria sim entrar na justiça contra os meios de comunicação e a família da bichinha mirim.
Uma pena o código civil considerar abuso sexual todo tipo de sexo com menor, mesmo quando o próprio menor é quem busca isso. Existem casos e casos e esse caso é um erro terrível com o dito "estuprador".
Aposto que a mãe acha que prendendo o lindo Ulisses o filho vai ser hetero agora e sair pegando todas as rachas do bairro. Acredita...

Prá mim o dito "estuprador" é vítima nesse caso.

Anônimo disse...

Oi, fugindo um pouquinho do assunto, desejo fazer esta pergunta: jovem de 16 anos que ja morou com jovem de 19 anos , é mãe e separou-se, pode ter relações com maior de idade ou o tratamento é o mesmo de uma adolescente solteira?

Carlos Alexandre Neves Lima disse...

Pessoal me perdoem pela falta de controle nos comentários. Deixei inúmeros sem resposta.

Mas o último Post o Anonimo faz uma pergunta e gostaria de tentar ajudar a responder.

A menor de 16 anos continua protegida pelo Estatuto do Adolescente e mantém a idade para os efeitos da lei criminal.

Mas as restrições para quem possua 16 anos e já não seja "corruptível" são outras diferentes daquela que atingiu Ulisses.

Estupro vulneravel ocorre apenas para menores até 14 anos, por exemplo.

O fato de ser mãe e separada não altera a idade, mas as qualidades inerentes ao bem jurídico tutelado. Tem diferença, lógico, mas continua com 16 anos.

Enfim, cada caso é um caso.

Teacher Eduardo disse...

Ola Carlos,

Vc saberia me dizer como esta o Ulisses hoje em dia?

Anônimo disse...

Carlos, reforço a pergunta acima, como está o Ulisses hoje? A matéria me marcou quando penso em pedolifia...

Anônimo disse...

Deixem a polícia, gente! Sinceramente... é que o garoto é filho de outra pessoa... mas se fosse filho de qualquer um de vocês, daí vcs se sentiriam mal também.

Carlos Alexandre Neves Lima disse...

Prezados, nunca mais tive notícias de Ulisses.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin